A crise dentro da crise: Saúde mental em tempos de COVID-19

A crise dentro da crise: Saúde mental em tempos de COVID-19

A crise dentro da crise: Saúde mental em tempos de COVID-19

Conversamos com profissionais das áreas de saúde, comércio, indústrias e educação e todos nos apresentaram em seus relatos alguns pontos em comum. Precisaram se adaptar com grande velocidade, aprendiam (acertando e errando) ao mesmo tempo em que se ajustavam a suas novas rotinas e estão diariamente lidando com o incerto. 

Esse momento histórico que estamos vivendo está exigindo muito de todos nós, mas principalmente dos profissionais linha de frente (médicos, enfermeiros, professores, profissionais dos serviços e produtos essenciais). Sabemos que depois de meses trabalhando sobre essa forte pressão muitos estão com a saúde mental desequilibrada, precisando de apoio e orientação. 

Em maio a Organização das Nações Unidas – ONU alertou para a crise global de saúde mental devido à pandemia da COVID-19. “O isolamento, o medo, a incerteza, o caos econômico — todos eles causam ou podem causar sofrimento psicológico” afirmam os especialistas. As crianças estão também estão mais ansiosas, e aumentaram significativamente os registros de casos de depressão e ansiedade em vários países. 

Caso você, seus colegas ou equipe sintam que se encaixam nesse perfil, listamos algumas dicas:

– Informe-se através de fontes confiáveis para tomar medidas práticas ao planejar como se proteger e proteger quem você ama. Evite, na medida do possível ler ou ouvir notícias que te causem ansiedade ou angústia. Adote uma espécie de “dieta de notícias”, atualizando-se sobre os fatos uma ou duas vezes por dia. 

– Por medo de contaminação e estigma, é possível que alguns dos seus familiares ou conhecidos desejem manter distanciamento físico nesse momento. Isso pode fazer com que a situação fique ainda mais difícil para você. Se possível, mantenha a comunicação por telefone e outros meios, como internet. 

– É normal sentir tristeza, estresse, confusão, medo e raiva durante uma crise. Conversar com pessoas que você confia pode ajudar. Entre os sintomas que ligam o sinal de alerta, fique de olho em cansaço extremo, desânimo recorrente, preocupação exagerada com tudo e pensamentos que não saem da cabeça sobre desastres ou morte. O diagnóstico precoce dessas condições garante um tratamento mais eficaz. 

– Não use cigarro, álcool ou outras drogas para lidar com suas emoções. Se você sente que precisa, converse com um profissional. Tenha um plano como aonde ir e como conseguir ajuda para saúde física e mental, se julgar necessário. 

– Se você precisa ficar em casa, mantenha um estilo de vida saudável. Incluindo dieta adequada, sono, exercícios e contato social com seus entes queridos através de e-mail, redes sociais ou telefone. 

– Mantenha seus filhos e crianças perto de você, caso seja seguro. E evite se separar delas, caso seja possível. Conversem com as crianças sobre a situação, de forma clara, honesta e apropriada à idade. Isso poderá aliviar a ansiedade dos pequenos que tem em nós um exemplo de comportamento. 

– Sim, esse momento é único e exige muito de nós. Precisamos nos reinventar pessoalmente, profissionalmente e no jeito como expressamos afeto e solidariedade. Precisamos tirar uma lição de tudo que estamos passando, encarando como uma possibilidade de nos tornarmos mais solidários e conscientes sobre a saúde e os sentimentos. Talvez esse seja nosso legado para as futuras gerações.  

E podem contar conosco para superar esse desafio. Nos envolvemos para entender o cenário e assim, cocriar uma jornada de aprendizagem personalizada, que atenda a real necessidade das equipes e da organização. Por meio dos Encontros ou Conteúdos on-line nossos consultores podem orientar as equipes de linha de frente, ampliando o poder de respostas aos desafios, acelerando o aprendizado e facilitando o gerenciamento da ansiedade e estresse.

Dentro da linha de Encontros on-line, ou seja, o consultor está com a equipe a ser desenvolvida em tempo real, construímos cases interessantes e que trouxeram grande impacto para os participantes e resultado positivo para as organizações. Como por exemplo, o Programa Diálogos Energéticos, o Programa de Desenvolvimento de Líderes em tempos de crise e o Programa de Mindfulness. 

A Renata Arruda, colaboradora da Unimed Blumenau que participou do Programa de Mindfulness deixou um depoimento que vale compartilhar aqui para que possa entender melhor o que podemos fazer por suas equipes: “Desde a pandemia do COVID-19, nossas rotinas foram drasticamente alteradas e o nível de tensão aumentou muito, mas eu nem havia sentido que estava diferente. Não havia tomado consciência, de que muitas vezes, agia no piloto automático (de modo reativo). E durante a participação no Workshop de Mindfulness, pude perceber meu corpo, silenciar meus pensamentos e me reconectar. Com técnicas simples e rápidas voltei o foco para o presente e percebi que preciso desses exercícios constantes de conexão, principalmente nos momentos de crise. Foi muito bom! Agora é praticar, o hoje!” 

Então, vamos superar esse momento juntos?

Fontes: OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde e Saúde Abril. 

  • Compartilhar: